Mindset de Crescimento

Atualizado: 27 de Jun de 2019


Todos nós possuímos um modelo mental que revela a forma como percebemos o mundo. É o jeito como vemos as coisas, através dos nossos filtros que nada mais são que as lentes que usamos para interpretar a realidade em que vivemos. Trata-se da realidade percebida por nós mesmos.

Nosso jeito de olhar o mundo é portanto o resultado de uma percepção condicionada da nossa própria realidade. De maneira a nos levar a ver o mundo não como ele é de fato, mas como nós somos.

Uma vez que conhecemos essa verdade, o desafio torna-se exercitar um novo olhar, um olhar curioso que busca enxergar além do óbvio, percebendo outras realidades que sempre estiveram presentes mas apenas não eram percebidas. Uma tarefa nada fácil já que sempre fomos acostumados a olhar com os nossos olhos da certeza, desconfiando e desacreditando de tudo que se mostra além do foco habitual.

Mas se de fato queremos promover uma transformação em nossas vidas, buscando a nossa evolução, é necessário romper os paradigmas existentes, somente assim, rompendo com as nossas formas tradicionais de agir e pensar, é que vamos promover os avanços que desejamos implementar. Uma mudança de filtro, ou seja, uma mudança na forma de olhar as coisas.

Ao modificar um pensamento ou perspectiva, rompemos antigas formas de pensar levando a novas descobertas e avanços, portanto isso influencia diretamente na mudança dos nossos comportamentos e nos resultados percebidos.

Quando não podemos mais mudar uma situação, estando diante de um fato imutável, somos desafiados a mudar a nós mesmos. A mudança torna-se uma realidade na trajetória da vida. Possuímos o maior dos dons humanos, o livre arbítrio, que nos dá a capacidade de escolher como responder às situações, qualquer uma delas que se apresente para nós, e sendo responsáveis pelas consequências destas escolhas. Reafirmando o poder e a influência de nossas atitudes mentais sobre as nossas vidas.

Traballhar nosso modelo mental é algo que requer muito autoconhecimento para poder reconhecer as nossas limitações de percepção e assim treinar uma novo olhar. O nosso maior potencial reside no fato de podermos evoluir de forma contínua, mas requer do indivíduo o compromisso de realmente querer promover seu crescimento pessoal. Uma trajetória que necessita da condução correta.

A mentalidade fixa é aquela moldada na certeza e limitada a crenças que nos impedem de progredir, portanto um modelo mental que devemos abandonar. Já a mentalidade de crescimento está amparada na curiosidade, onde acreditamos que podemos evoluir cada vez mais, buscando sempre o conhecimento como alicerce do aprendizado, e que requer esforço e um intenso trabalho individual, trilhando um caminho mais propenso ao sucesso.

E como bem alerta Carol Dweck: “ao em vez de correr para pular mais degraus em direção ao crescimento, precisamos entender se estamos subindo a escada certa”. Somente o autoconhecimento poderá te guiar para a resposta correta.



Em vez de correr para pular mais degraus em direção ao seu crescimento, entenda se você está subindo a escada certa. Essas provocações foram feitas por, pesquisadora de Stanford, e reveladas no livro Mindset, de leitura obrigatória.

Que tal ouvir o artigo? Experimente dar o play abaixo ou fazer o download para ouvir offline!

Você sabia que existem dois tipos mindsets, e só um leva ao sucesso? São ideias inovadoras que reafirmam o poder e a influência de nossas atitudes mentais sobre nossas vidas. Sabemos que mindset é uma palavra que significa “a maneira de uma pessoa pensar” ou o seu modelo mental, mas aqui vamos traduzi-la apenas pela palavra mentalidade.

Bem, você vai ter que decidir agora: ou você é uma pessoa de mentalidade fixa ou de mentalidade de crescimento progressivo. E aqui está o segredo do sucesso…

Não se preocupe, vamos explicar rapidinho…

Mindset de crescimento e mindset fixo

As pessoas de mentalidade fixa acreditam que nasceram com uma “cota” de inteligência que não irá mudar. Errar para elas é algo insuportável. Por essa crença limitante elas tendem a evitar desafios e experiências novas com medo de parecerem menos inteligentes.

Já as pessoas de mentalidade de crescimento acreditam que sua inteligência melhora cada vez mais pela aprendizagem e que o caminho do sucesso está no resultado do seu trabalho intenso e do seu esforço.

Mindset dos aprendizes e não aprendizes

Agora, em poucas palavras, vamos fazer uma viagem por dentro destes dois mindsets e

entender exatamente como você pode começar a construir uma vida melhor, adotando agora atitudes que levem ao sucesso naquilo que você deseja.

O sociólogo Benjamin Barber diz que há muitas maneiras de segmentar o mundo. Uma delas é dividi-lo entre aprendizes e não aprendizes.

Os chamados aprendizes acreditam que eles têm a capacidade de se superarem progressivamente e, assim, fazer da mudança constante uma realidade.

Já os não aprendizes acreditam que “as coisas são como são” e que não faz sentido ou é muito difícil mudá-las.

Com que tipo de mindset nascemos?

Gostaria aqui de chamar sua atenção: nós não nascemos assim!

Então, se você se identificou mais com a mentalidade de crescimento, parabéns! É

muito provável que você já viva uma vida de mais realizações e de mais satisfações.

Mas se você se identificou mais com a mentalidade fixa, será que isso significa que você deve jogar a toalha e desistir? Não, absolutamente!

Sabe o porquê? Há boas notícias da ciência para você também.

Você é a única pessoa que pode optar por um ou outro mindset. E, se por algum equívoco, você veio até aqui com um mindset que não o ajuda, você é a única pessoa que ainda tem o poder de mudar.

Pense agora sobre como bebês vêm a este mundo. Eles passam todas as suas horas projetando experiências e aprendendo sobre o mundo à sua volta. Eles são mais curiosos do que crentes. Eles vão ampliando suas habilidades diariamente porque vão se superando o tempo todo. E não param.

Imagine você o que significa aceitar um dos maiores desafios de toda a nossa vida – que é aprender a andar e a falar.

É provável que se isso fosse exigido de adultos, pessoas com mindset fixo teriam desistido e passariam o resto de suas vidas sentadas (sem andar) e sem pronunciar uma só palavra.

Mas, quando éramos crianças, caíamos, voltávamos novamente e descobríamos como evitar cair numa próxima vez. E continuávamos aprendendo e aprendendo, até que um dia surpreendíamos a todos, caminhando e conversando pela primeira vez. E, claro, encantando os nossos pais.

Como se forma o mindset?

Ao longo de nossa jornada onde deixamos estacionada a nossa capacidade de superação?

Como foi que — aos poucos — fomos assumindo um mindset fixo, que não nos faz melhor?

Bem, as pesquisas comprovam que já a partir do primeiro ano de idade nossos pais influenciam em muito na formação de nossa

personalidade por serem críticos ou elogiosos.

A crítica vai formando a crença de que “as coisas são como elas são”, e que a vida é exatamente como estamos assistindo e não há muito que mudar.

Ao contrário, a autora comprova em pesquisas que crianças elogiadas tendem a confiar mais em si, são motivadas e curiosas, por enfrentarem os desafios cada vez mais difíceis.

As crianças com a mentalidade de crescimento aprenderam a viver em um mundo muito diferente das de mentalidade fixa.

Onde as pessoas com mentalidade fixa viram um mundo cheio de julgamentos e medo, as pessoas com mentalidade de crescimento viram um mundo cheio de maravilhas e coisas para aprender.

A autora relata uma visita que fez a uma galeria para ver os primeiros trabalhos de Cezanne, um dos seus artistas favoritos. Quando olhou pra exposição, ela percebeu

que alguns dos seus trabalhos eram realmente muito ruins.

Mas algumas outras obras pareciam ter sido criadas por alguém completamente diferente. Foi lá que a autora aprendeu que Cezanne levou muito tempo para se tornar “o Cezanne”.

Mindset dos vencedores

Michael Jordan o melhor jogador de basquete de todos os tempos também levou tempo para se tornar Michael Jordan.

Veja você, em uma de suas frases ele diz tudo: “Eu errei mais de 9.000 arremessos em minha carreira. Perdi quase 300 jogos. Em 26 oportunidades, confiaram em mim para fazer o arremesso da vitória e eu errei. Eu falhei muitas e muitas vezes na minha vida. E é por isso que tenho sucesso”.

Acredite, ele não foi o melhor por acidente. Jordan tinha uma mentalidade de crescimento e acreditava que por meio de trabalho duro e dedicação ele poderia melhorar o suficiente para se superar.

Imagine que nem Cezanne e nem Jordan teriam o sucesso que alcançaram se não fosse pela superação de seus erros.

E quero que você tenha a certeza: em pessoas de sucesso em todo o mundo, você vai encontrar sempre este mesmo padrão!

Mas o que acontece depois que você é nomeado o melhor jogador do planeta? Claro, que os indivíduos com mentalidade de crescimento acreditam que o sucesso é uma viagem constante e não um destino e irão continuar sempre a se superar por outros caminhos.

Mindset dos líderes

Mas, e no mundo dos negócios, como atuam os líderes de mentalidade fixa e líderes de mentalidade de crescimento?

Bem, os de mindset fixo, em vez de liderarem suas equipes para melhorar suas próprias habilidades e desenvolver equipes de alto desempenho, tendem mais a um comportamento clássico de se concentrarem na crítica e a depreciarem os outros. Muitos

adotam o medo como disciplina até o ponto em que a equipe acaba, passivamente, concordando com tudo para não ser rejeitada.

Para esses CEOs, quando as coisas dão erradas, eles procuram logo colocar culpa nos outros –desculpas para dar a impressão de que eles não tiveram qualquer participação na falha.

Isto é o que a autora chama de “doença de CEO”. Mas o lado bom é que o sucesso desses líderes não é duradouro. Isso porque eles se desmoronam quando confrontados com o fracasso.

Felizmente, há muitos e grandes exemplos de líderes de mentalidade de crescimento progressivo.

Jack Welch, CEO da GE, mesmo com todas as coisas desagradáveis que diziam dele, era um líder de mentalidade de crescimento. Welch ainda era relativamente jovem quando assumiu altos cargos na GE.

Mas veja, esqueça a perfeição: ele não começou desse jeito. Ele foi inicialmente até

rotulado de “criança problema”. Era tido como arrogante.

No início preferia contratar apenas engenheiros oriundos do MIT e de Princeton. Mas aprendeu mais tarde que a coisa mais valiosa que um funcionário pode trazer para uma organização é uma mentalidade de crescimento, o que ele chamou de “fome interior”.

Como ele já possuía o mindset de crescimento, escalava a GE conseguindo o melhor de seu time.

Eles estão ao seu redor

Se você quiser confirmar estes dois tipos de mindsets, não vá longe, olhe ao seu redor. Veja as pessoas que criam sucesso duradouro para si e seus negócios –você verá que eles são muito parecidos com estes exemplos que eu trouxe, não é?

E se você for uma pessoa que não tem vontade de mudar, e insistir o tempo todo que o mundo ao seu redor é que deve se transformar em seu benefício?

Bem, a única maneira de você conseguir sucesso naquilo procura é por meio da aprendizagem contínua. Se você quer ganhar uma promoção, ou o bônus, tenha a certeza de que você irá ganhar, mas o caminho é o do mindset progressivo. Isso pode levar tempo e esforço, mas acontecerá.

Finalizando, há duas mentalidades que você pode ter neste mundo, e aquela que você escolher fará toda a diferença.

Precisamos ter sempre todo o cuidado para não julgarmos qualquer pessoa sem considerar também todo o contexto em que ela está operando e ajudá-la para que possa mudar seu mindset, se assim for o seu desejo.

Vá em frente!

1 visualização

Contacte-nos

Assine nossa Newsletter

Amy Academy ® - Todos os diretos reservados. CNPJ: 29.102.145/0001-8  atendimento@amy.academy